28/02/2009

Mil...

Mil visitas passaram neste blog... tudo começou com uma brincadeira, brincadeira essa que tem apenas alguns meses... é uma brincadeira no seu estado mais embrionário!
Hoje (sábado) não tive treino, não peguei em nada do mestrado... guardei o sábado para não fazer rigorosamente nada! Já tinha saudades de um sábado assim...
Apetece-me mandar-vos mil beijos...
Apetece-me mandar-vos mil abraços...
Apetece-me mandar-vos mil "obrigados"...
Continuem a passar por aqui!

Foto: O Rei Pelé, na celebração do seu golo... nº1000!

Bom fim de semana!!!

Ps- Ontem, para quem conhece, estive com a Dulcineia, minha aluna do IDF, lá em São Tomé! Foi, por demais, especial... foi tão bom ouvi-la a rir e perceber que continua a ser uma estrelinha de futuro, para aquele país!

26/02/2009

Musiquinha no ouvido...

video
Hoje vim do Porto para casa, depois do treino de voleibol, com esta música no ouvido... difícil de cantarolar (sim, ando sempre a cantar no carro, quando viajo sozinho! Alguém sofre desta patologia??), mas a melodia era perfeitamente nítida no meu cérebro...
Sou um consumidor compulsivo de música... e as bandas sonoras de filmes é algo que sempre me atraiu! Sim, sou "daqueles" que fica no cinema até a sala fechar, à espera que apareçam os autores da banda sonora! Há filmes com bandas sonoras absolutamente inesquecíveis! Quem não se lembra das lindíssimas músicas do filme "A Missão"?, ou do filme "Fala com Ela"? Dos filmes épicos "Braveheart" e do "Gladiador"? Ou até dos musicais "Moulin Rouge" ou do "Chicago"?
Mas, para mim, esta é "A" música... lindíssima, num filme igualmente bonito! Fiel Jardineiro...
Com muito significado também... não terá sido por acaso o filme escolhido para se ver numa das noites, do 1ºET, em 2007, durante o meu ano de formação dos Leigos para o Desenvolvimento!

Enfim... desafio-vos a viajar!

Sentem-se, liguem as colunas e fechem os olhos... quem não se lembra daqueles sorrisos, daqueles dentes branquíssimos e aqueles olhos escuros e arregalados? Quem não se lembra das corridas desenfreadas, descalços, na terra batida? Quem não se lembra do olhar terno e paciente dos mais velhos? Quem não se lembra dos jogos de futebol, sempre inesquecíveis? Quem não se lembra dos carrinhos de arame, ou dos carrinhos de rolamentos? Quem não se lembra das pedradas para apanhar as mangas ou para apanhar caroço?
Quem "lá esteve" tem estes "surtos de sufocantes" de querer largar tudo e voltar... a música leva-nos, também, para esses momentos! Mas é tão, tão bonita...

Viajem... e contem como foi!

Bom fim de semana...
Diogo Carneiro

25/02/2009

E tempo de dar as mãos... e juntar os anciãos!

Bem... éramos muito MESMO!
Tenho que confessar uma coisa: ODEIO O CARNAVAL! Sempre que fui a festas de Carnaval fui (quase) obrigado, nunca gostei de me mascarar, nunca vibrei rigorosamente nada com o Carnaval nem sei bem o motivo!
Este ano o desafio tinha que ser diferente... aproveitar os lindos dias de sol e juntar a Leigada toda cá em casa... sim, a "malta da pesada", os anciãos do norte de Portugal!
O desafio foi lançado com um powerpoint singelo... o medo tomou conta dos meus pensamentos! Nem uma semana antes tínhamos estado todos juntos, num jantar partilhado no CREU... será que as pessoas iam aderir? E não é que tive uma adesão fantástica? Sempre que é para o "cumbíbio" o pessoal está pronto!! E assim foi...
Traje: africano, ora pois!
Churrascada...
Kizombada, sembas e funanás...
Recordações...
Jogo de futebol...

Valeu por tudo... inclusivé pessoas que mal conhecia, foi bom sentir que todos temos algo em comum, algo que nos une! Isto do termos estado em missão faz com que exista uma "química" qualquer que nos deixa "em família"!

Regressado de missão nem há 6 meses, fui sempre tendo medo de não me "enturmar" em todas as alturas... ontem tive a certeza: ali, sinto-me MESMO MUITO BEM!

Obrigado a todos e a todas... foi um Carnaval inesquecível!!!

PS- Jogo de futebol e jogo de voleibol... para a próxima EXIGIMOS mais adesão!! :-D

20/02/2009

Embondeiro...

Árvore mágica esta... em STP, estes eram "embondeiros namorados", pois abraçavam-se com ternura e quietude...
Desde muito criança que esta palavra era soletrada nos meus ouvidos:E-M-B-O-N-D-E-I-R-O! Porquê? Devido ao livro de "todos os ensinamentos", o Principezinho, logicamente! Era a árvore preferida do meu amigo... livro este que só, muito mais tarde, vim a perceber e a dar o devido valor, contava-me a história deste menino, cuja árvore favorita era o embondeiro!
Existe um pouco por todo o lado... Brasil, Madagáscar, África e até em algumas regiões mais improvávei da Ásia! No entanto estes eram "os meus embondeiros"!
Diz a lenda que os africanos acreditam que são árvores caídas do espaço, fruto da sua forma tão estranha! Acreditam, também, que quando morrerem, serão embondeiros... visão bonita esta! Imaginar-me ser uma árvore destas, algumas com mais de 25 metros de altura e que chega armazenar mais de 120 mil litros de água? Também quero ser embondeiro quando morrer!!! :-D

Entretanto é uma árvore de recordações... namorava com ela cada vez que ia a Neves... cada vez que recortava a costa santomense, em tantos dias de sol estonteante! Ir a Neves era sinal de catequese, era sinal de Irmã Lúcia, era sinal de Baguid, Diogo, Punoy, Boneco, Irmã Fernanda, Irmã Maria do Céu, Petiza, Titi e mais e mais... era sinal de alegria, era sentir-me em casa, era suspirar em cada ida à carpintaria entre os montes verdes que a rodeavam... Neves! Um amor quase proíbido! Uma amante do meu casamento com o IDF... um outro casamento de muito amor!

Ir a Neves significava viajar... significava partilhar... saudades dum silêncio precioso...
Ir a Neves era perder-me e encontrar-me novamente!

BOM CARNAVAL!!

14/02/2009

Dar a mão...

"Há encontros na vida em que a verdade e a
simplicidade são o melhor artifício do mundo"


Ontem, enquanto vagueava em algumas fotos, encontrei esta... e facilmente me lembrei destes encontros com o Miguel... plenos de "fogo de artifício", cheios de simplicidade! O Miguel tinha muitas coisas cativantes: a sua paixão pelo meu F.C. Porto, o seu sorriso constante, a forma positiva como enfrentava a vida, o seu humor e claro, deve ter sido (excluindo o meu pai), o homem com quem estive de mão dada mais vezes na minha vida... para quem não conhece, é extremamente comum, entre homens, dar-se a mão, enquanto se conversa! É sinal de proximidade, é sinal de amizade e empatia... o Miguel agarrava-me na mão vezes sem conta!

Sinto saudades de muitas coisas... de dar a mão, tão simples e peculiar, gesto sim, também tenho saudades! E sinto saudades das mãos fortes do Miguel, de me sentir miúdo ao lado dele... sentia, tantas vezes, algum "fascínio" do Miguel! Ouvir falar de um jogo que vi, no Estádio do Dragão era, para ele, algo absolutamente fascinante... tão fascinante que nem se apercebia que aquela mão que apertava era minúscula à beira da mão dele: forte, vivida, experiente, calejada, fascinante...

Estamos juntos...

PS- Maria: vamos à Cozinha e depois damos um salto às 7 ondas? ;-)

BOM FIM DE SEMANA!!

07/02/2009

Velhice... ou acumular de juventude?

"A juventude é a época de se estudar a sabedoria; a velhice é a época de a praticar" (Rosseau)

Penso sempre nisto... e penso sempre neste dia de Carnaval (é verdade, está a fazer um ano, inacreditável!). Os idosos de Água-Izé foram animar a pediatria do hospital... será, também, isto, praticar a sabedoria? Com certeza que sim...
Nos últimos dias de missão, soube mesmo bem ir a Água-Izé e sentar-me a ouvir... algo que raramente fazia, até então! Sem a preocupação de voltar, sem aulas para dar, sem horário para cumprir... estar, apenas!
As histórias da Eduarda, da América, do Sr. Joaquim ou do Senhor António... do Chicharrinho e do Quintino, enfim! É impossível esquecer como sabia bem ouvi-los... retroceder, quase sempre, alguns anos na história santomense, provavelmente até ao tempo em que os portugueses por lá andavam... era voltar a viver um Equador versão Diogo Carneiro, viajar e imaginar "aquele São Tomé", hoje destruído e esquecido, a funcionar perfeitamente: uma enorme indústria, com caminhos de ferro, hospitais, escolas, edifícios grandiosos e um "orgulho de ser de Água-Izé, de Diogo Vaz, ou de Rio do Ouro"... hoje, não é mais do que um pedaço do paraíso esquecido, no Golfo da Guiné! É pena...

Tempo de terminar a viagem e regressar... mestres em sabedoria, verdadeiros exemplos de vida, lembram-me sempre os exemplos que tenho à minha volta, em Portugal... e da falta de tempo que tenho, sempre, para os ouvir!

Bom fim de semana!

06/02/2009

"Há quem brilhe na segunda fila e se eclipse na primeira"

Voltaire sugere-nos isso mesmo... a ligação aos Leigos para o Desenvolvimento foi imediata... para mim foi muito importante perceber que tinha que viver quase que "sem rosto"! É belo e não nos desresponsabiliza, muito antes pelo contrário... o prazer de brilhar na segunda fila é muito maior do que, à priori, se pode imaginar. Aprender a ver a beleza dos outros a brilharem faz parte dos ensinamentos que um ano de missão nos dá...
Quase como escondermo-nos atrás de um ramo de flores... são elas que brilham, não é o nosso rosto! (apesar de, na foto, estarem uns lindos olhos azuis!!)

Boa 6a feira!

Diogo Carneiro

04/02/2009

A multidão nunca tem razão

A citação, hoje, não deixa de ser curiosa... principalmente porque ainda há pouco escrevia que temos esta mania de andar atrás da "norma", sempre preocupados com aquilo que os outros podem pensar... longe vão os tempos em que isso era relativo à maneira de vestir, aquilo que se diz, comportamentos-tipo! Agora são "macro-factores"... e provavelmente muito mais relacionados com a maneira de estar, com atitudes perante o dia-a-dia!
Apetece, tantas vezes, largar tudo e fugir desta norma, que nos aperta que nem um colete de forças, que nos mantém imóveis e com a sensação de que nada tem sabor, que tudo é incrivelmente insípido...
Os momentos em que se consegue fugir a esta norma são, então, o sal da vida...

É importante aproveitá-los... é importante estar atentos, porque eles existem...e andam por aí!

Boa 4a feira!!!

01/02/2009

Agradecer...


"Quantos obrigados disse hoje? Dois ou três? Acho que não houve ocasiões para mais? Só agradeço as coisas boas que me ajudam ou me agradam? Não seria bom agradecer a própria existência e a dos outros? Agradecer até os sofrimentos e as contrariedades, que, bem vistas as coisas, são ocasiões de crescimento e de solidariedade com os outros. Quando mantemos os olhos abertos, estamos sempre a agradecer. É agradecer e ser-se agradecido que faz a qualidade da vida!"
-Vasco Pinto Magalhães sj, in Onde Há Crise Há Esperança