20/07/2009

Gambozinos II

Vai começar!!!!!
É já amanhã... finalmente! Confesso que o nervoso miudinho já não se apodera de mim, como noutros anos... confesso que o sono, hoje à noite, será muito mais tranquilo... confesso também que espero viver as coisas com outra serenidade!
No entanto, ser Gambozino, é SER GAMBOZINO!! E eu fui Gambozino, em 1998... há 11 anos atrás! Nunca deixei de ser... provavelmente já era Gambozino antes e não sabia!
Serão 10 dias inesquecíveis, cheios de sentimento, cheios de cor, cheios de substância acima de tudo... e voltarei de coração cheio, como sempre!
Entretanto, quem não conhece o que são os Gambozinos, melhor do que ser eu a explicar, é visitarem www.gambozinos.org...

Dia 2 chego do campo... e só aí actualizarei o blog!

BOAS FÉRIAS!!!

19/07/2009

Uma nova proposta...

"Perante a aparente incapacidade do Ministério da Educação em elaborar exames de dificuldade consistente de ano para ano, a solução parece-me simples: rasgar as notas absolutas. É irrelevante saber se o aluno teve "positiva", 30 ou 80%. O que importa é a posição relativa do aluno em relação aos seus colegas, isto é, o percentil. Se está nos 5% de topo ou nos 5% da cauda. Só estas notas deveriam ser lançadas. Em primeiro lugar, porque a distribuição da qualidade dos alunos deve ser mais estável de ano para ano do que o grau de dificuldade dos exames de um Ministério com a obsessão das estatísticas. Em segundo lugar, porque os alunos devem perceber que não interessa ter "positiva" e sim ter um resultado melhor do que o dos colegas, visto que estão em competição directa uns com os outros. Em terceiro lugar, porque acabaria esta moda de perguntar aos alunos se os exames foram fáceis e a Ministra deixaria de fazer declarações patetas sobre o aumento das positivas. Quanto a saber se os alunos estão melhores ou piores com o passar dos anos, esse é um trabalho para a OECD."

Vasco M. Barreto - Revista Sábado

17/07/2009

Vistos e Passaporte...


Confesso que sempre olhei para o meu passaporte com um olhar de "tenho que preencher estas páginas quanto antes"!!! Mas a verdade é que nem a meio foi...coitadito! Umas viagens a São Tomé, Marrocos e Manaus... pouco mais! Mas lá dentro acaba por ter experiências que ficam para a vida!
Agora com a ida à Guiné-Bissau, foi tempo de voltar a pegar no passaporte. Conclusão? Quase a caducar... e pimba, como vivemos em Portugal e estamos "muito à frente", agora os passaportes novos já são digitais (embora continuem a ter o aspecto obsuleto de sempre!) e, como tal, custam o DOBRO... enfim, "modernices", dizia o senhor que me atendeu na loja do cidadão.
Mais complicado que o passaporte era, com certeza, o visto para a Guiné... será que ia conseguir tratar disso no Porto? Enfim... a verdade é que ontem ainda passei umas horas pelo consulado, à espera do Sr. Consul que decidiu não aparecer... hoje lá fui eu, mais uma vez! Horário de atendimento: das 9h às 12h. Hora a que o Sr. Consul chegou? 9:55... simpaticamente abriu a porta, perguntou do que se tratava, mandou-me preencher um formulário que quase não se lia de tão fraca que era a fotocópia e foi... tomar o pequeno-almoço à pastelaria do andar de baixo! Esperei... esperei! Atendeu-me finalmente (estava absolutamente sozinho lá no consulado) e mandou-me aparecer lá uma hora depois! Fui dar uma volta pela baixa do Porto e eis-me lá, passado uma hora! Paguei menos 30€ do que pagaria na Embaixada em Lisboa e saí com o visto na mão... Com este pequeno pormenor da brevidade com que tratou da questão, parecia que tinha, momentaneamente, voltado a África (T.I.A., não é?)... mas o mais curioso é que o Sr. Consul era...português!

Enfim... uma odisseia hoje de manhã, mas tudo terminou bem!

Agora já posso ir para a Guiné, é OFICIAL!!!

12/07/2009

Despercebido...

Hoje a citação do dia fez-me lembrar numa das coisas que mais me fascina: servir sem rosto! Facilmente "confundível" com altruísmo excessivo e até com egocentrismo e falsa modéstia... mas a verdade é que só percebi o real valor desta dimensão, após a experiência como Leigo para o Desenvolvimento. Por si só, a palavra desenvolvimento já me fascinava. Acho que juntava um misto de curiosidade com desconhecimento e chamamento...
Passar despercebido... pode ser tanta coisa! Podemos, por um lado, "passar ao lado" de tudo: não sentir, não amar, não O ver nas coisas quotidianas, não cheirar, não saborear, não degustar...
Podemos, igualmente, passar a "meio gás": nem "ser carne nem ser peixe", estar mas não arriscar, ir mas não ousar... ou podemos passar despercebidos, mas sendo capazes de o ser sem rosto! Estar... sem rosto! Viver momentaneamente... sem rosto! Acreditar... sem rosto! Participar... sem rosto! E (mais uma vez) estar, estar, estar, estar... sem rosto!
E como sabe bem... significa que damos, indubitavelmente, menos? Não necessariamente... podemos, isso sim, dar de uma forma mais ousada, mais desprendida, mais verdadeira até! É, necessariamente, mais impessoal? Não acredito que o tenha que ser...
É assim que quero ser este Verão... é assim que quero conseguir ser, durante alguns momentos! Quero estar no campo de Gambozinos e ser capaz de estar, dar tudo, viver intensamente, partilhar com o coração aberto, ensinar tudo aquilo que sei, ser um operário da fábrica de sonhos... mas fazê-lo sem me preocupar se o faço sendo o Diogo Carneiro, ou até o Diogo Cerejeira Carneiro (às vezes parece que tenho que colocar 2 nomes a seguir a Diogo!). Isso é perda de identidade?! Não!!!! É liberdade... é dar independentemente de... é dar "sem se's"!! É estender a mão e retirá-la, sem receber nada em troca...

09/07/2009

Guiné Bissau

É verdade... 16 de Agosto a 31 de Agosto, Bissau espera-me! Sinceramente não sei bem o que me espera (sei quem me espera, já é um princípio...)!
Será, talvez, o desejo de sentir o "bafo quente" ao sair do avião... o desejo de voltar a ouvir "ainda"... o desejo de ver olhos enormes e profundos... o desejo de ver uma vida vivida com outra postura... mas será, indubitavelmente, diferente de São Tomé e Príncipe! Mas será um voltar a África, à África profunda, à África negra que me fascina...
Não sei bem o que irei sentir... A Guiné acaba por ser, como tantos outros países africanos, mais uma "terra esquecida"! Mas é tão, tão, tão, tão aliciante... não há malárias, cóleras, calor, chuvas que me impeçam de sentir isto...
Será que é desta que poderei viajar de janela aberta e pensar: ESTOU EM ÁFRICA! Ou dizer à Luísa, em tom de suspiro: África...

Cheiro a terra vermelha, depois da chuva... será que é desta?

08/07/2009

Devaneios... mais controlados!!

Hoje reparei numa coisa: já passaram as 3000 visitas... mas a página já foi vista quase 5000 vezes! É engraçado que a "brincadeira" do blog começa a crescer... ainda bem! Aumenta, então, a responsabilidade... os devaneios terão, então, que ser mais controlados!!! :-D

A citação de hoje poderá estar relacionada: "A vaidade torna-nos tão crédulos como tolos"...

Obrigado às pessoas que vão lendo, de quando em vez, estas loucuras!

07/07/2009

Afinal...

video
Era isto que eu ia tentar ir ver... que pena, cheio de bombas para estar assim ou não, é o Rei da Pop! Ou como diria o outro: Rei da Pop é um conceito redutor... MJ foi o maior entertainer de sempre!!!

02/07/2009

Caminho...

Dizia o Padre Vasco... porque o caminho, o caminho faz-se caminhando!

Não sei, ao certo, o que é que me apetece escrever aqui... talvez a ilusão tenha dado lugar à desilusão! Mas nunca passou disso mesmo: ilusão... mas era um caminho!
A Fatimicha bem me disse... "se calhar é porque não é suposto"! Mas após o primeiro desalento, voltou a aparecer um restinho de esperança, com testes-psicológicos-da-treta... enfim!
A verdade é que o caminho tomou outra direcção completamente diferente... a ver vamos se irá dar a bom porto!

01/07/2009

As cidades, pelo Rodrigo Leão



Eu às vezes penso muito... penso demais! Devaneios estranhos estes que me levam a divagar por todo o lado, não estando em parte alguma!
Vale a pena arriscar, clicar em pause do lado direito e ouvir esta música... imaginar-me lá, nessas viagens pelo estranho mundo dos devaneios!
Lembro-me bem do Príncipe e da Lavadeira, o "Senhor-do-tudo-ou-nada"... aquela exigência típica: mas porquê isto? mas porquê aquilo?...
Lembro-me do saber estar, do "quality time"... pura paisagem, pura ilusão! Onde pára tudo isso?

Dá vontade de vaguear... por aí! Dizer bom dia e boa tarde a todas as pessoas que passam na rua... andar descalço, correr sem rumo, não ter horas, comer laranjas sem ter que lavar as mãos no final...

Estas cidades, do Rodrigo Leão, serão que cidades? As minhas cidades seriam as cidades da paciência, da paz, da plenitude, da sapiência, da assertividade...

Não sei bem porque é que escrevi isto! Talvez porque 50 mil pessoas se mobilizaram para ver a apresentação de um jogador de futebol (Kaká, Real Madrid). O mundo anda mesmo sem cidades... ou como diriam os Xutos & Pontapés: o mundo ao contrário!